I am he as you are he as you are me…And we are all together?

Já pensou novos Beatles?  Pois é, nem eu… Mas o James McCartney, o filho de Paul (dã) já…
Ele teve a ideia de se juntar com  Zak Starkey,  Sean Lennon e Dhani Harrison para formar uma banda de filhos dos Beatles…

não são bonitos que nem seus pais, rs

Mas e aí? Será que isso funcionaria? Quero dizer, nem sempre filho de peixe, peixinho é… Talvez fosse ótimo, músicas novas com esse estilo Beatles seria maravilhoso, mundo ta precisando né.. Apesar de eles terem deixado um monte, ainda não é suficiente para mim, rs..
Mas em compensação talvez não desse certo, porque eles têm que ter em mente que nunca

serão tão bons quando os originais e não deviam se prender tanto a isso… Eles não deveriam tentar ser os novos Beatles, porque ISSO É IMPOSSIVEL, mas tentar ser uma boa banda…

Em entrevista com o BBC, James disse que não sabe se Zak toparia, mas talvez o irmão dele sim e os outros parecem que topariam, eles já discutiram a ideia e apesar de não ter certeza se irá rolar ele espera que isso aconteça…

Bom, vamos ficar de olhos no que isso vai dar né…

When all hope is gone, we’ll find love.

Sabe aquela sensação de que você nunca vai ver o show de tal artista? Pois é, eu sei bem como é. Até semana passada, era isso que eu sentia com relação a Tiago Iorc, o queridinho das trilhas sonoras brasileiras, de quem sou fã. Prestem atenção, eu disse até semana passada. Exatamente.

Tiago Iorc começou a ganhar destaque na música nacional com seu primeiro single, Nothing But A Song, música que a maioria de vocês com certeza conhece, por ter feito parte de diversas trilhas sonoras. Teve seu primeiro CD, Let Yourself In, lançado em 2008, e conta com músicas como My Girl, Fine (<3), When All Hope is Gone, Blame, e diversas outras tão boas quanto essas.

Vocês já devem imaginar que, semana passada, eu fui a um show dele, certo? Hahaha. Um pocket show, na verdade, mas ainda assim, um show. Acontece que Tiago lançou recentemente seu mais novo álbum, Umbilical, que devo dizer, está tão bom quanto o primeiro: mais maduro, composições mais bem elaboradas.. Maravilhoso! Já era de se esperar, então, uma “turnê” do cantor. E eu, fã desde sempre, não perdi a oportunidade de ver um de meus cantores favoritos ao vivo, né?

A história é a seguinte: eu moro na zona leste de São Paulo, e o show aconteceria na livraria Fnac do shopping Morumbi, na zona sul, as 20h. Ou seja: eu teria que atravessar a cidade no horário  e na região mais congestionados de toda a cidade, ainda mais que todas as grandes empresas se situam na região do shopping. Saí de casa as 15h30 (SIM) e cheguei no shopping exatamente as 17h50. Foi o tempo de comer, comprar o CD novo do querido e voltar pra livraria. Pra conseguir um lugar bom, uma hora antes do show eu estava na livraria, assim como várias outras pessoas que também foram espertas, e adivinha? TIAGO IORC ESTAVA FAZENDO A PASSAGEM DE SOM! Sim, pra todos os fãs que estavam assistindo!

Minha reação ao vê-lo foi de começar a tremer e ter um ataque do coração. Gente, ele existia! E estava na minha frente tocando! Tudo bem, me acalmei e fui pra fila enquanto os organizadores montavam os lugares na frente do palquinho.

Acabei ficando na segunda fileira, vi um dos caras que eu mais amo tocando a menos de dois metros de distância de mim (eu juro que quase não usei zoom na foto ao lad0!) e quase tive uma úlcera de nervoso durante o show inteiro.

Sobre o show, finalmente: Tiago Iorc toca com uma naturalidade que eu nunca vi antes em cantor algum. Em momento nenhum ele fez esforço para cantar ou alcançar notas mais altas, não desafinou em nenhum momento e mais parecia que estava tocando em sua casa do que em uma livraria pra mais de 60 pessoas. De camiseta e moletons, ele tocou um repertório que incluía Story of A Man, Ducks in a Pond, Nothing But a Song, Just So You Know, Gave Me a Name, My Girl, Umbilical, um cover MAGNÍFICO de Imagine, do amado John Lennon e, de encerramento, a maravilhosa e animadora Fine. Além de interagir o tempo inteiro com os fãs e DE TER OLHADO PRA MIM ENQUANTO TOCAVA MY GIRL, ele tocou o repertório mais curto (longo para um pocket show, se você analisar), para poder atender os fãs que estavam na parte cercada do show, que incluía cinco ou seis fileiras de 12 ou 13 cadeiras cada. Gente, vocês tem ideia!?!??!?!!?

Eu literalmente não conseguia falar ou esboçar alguma expressão na minha vez de abraçá-lo, de tão nervosa que eu estava. Acabou que ele autografou meus dois CDs, me deu um beijo na bochecha que arde até hoje e me abraçou de um jeito que eu não quis nunca mais soltar. Vale lembrar que, quando eu disse meu nome, ele perguntou se tinha acento. E ninguém NUNCA perguntou se meu nome tinha acento.

Desse show, confirmei as impressões que eu tinha dele: um cara comum que realmente não liga pra fama, só faz o que gosta. Também confirmei que ele é o homem da minha vida e que eu quero ele como futuro marido.

Não sei porque, não consegui colocar nenhum vídeo do show aqui no post. Mas vocês podem ver algumas das músicas aqui e aqui. No canal da MahCullen tem todos os vídeos do show também 🙂

Nunca imaginei que o que aconteceu no show pudesse realmente acontecer comigo algum dia. O título do post, trecho da minha música preferida do Tiago, When All Hope Is Gone, explica realmente isso: eu não tinha esperança nenhuma de ir a algum show dele, e justamente quando eu menos esperava, aconteceu. Não desistam do sonho de vocês.

E desculpa de novo a demora para postar. Último bimestre da escola e eu nunca corri tanto na minha vida.

 

Beijos,

@juliamiozzo

 

I’m feeling fine! (:

 

O tão esperado retorno de Demi Lovato

Após sair da clínica de reabilitação, na qual ficou seis meses internada, Demi Lovato deu um tempo na atuação e se focou na música, que, nas palavras da mesma, “é tudo pra mim no momento”. Mudando um pouco o gênero, a cantora decidiu que seu novo álbum, intitulado Unbroken, teria mais R&B, que fica bem em sua voz, do que pop rock tão familiar de Demi.

O lançamento do álbum aconteceria no dia 20 de setembro, mas não sei como, alguém conseguiu vazar o CD na internet, para a minha felicidade e dos fãs. Apesar de não ser tão fã da cantora, esperei ansiosamente pelo álbum e já não aguentava mais ouvir Skyscraper (mentira).

Eu pensava que, pelo estilo do primeiro single, o álbum seria todo nesse estilo calmo que tem, que eu amo, mas me enganei: o álbum tem uma pegada pop e melosa e todas, todas as faixas ficam na sua cabeça o dia todo. Eu amei, de verdade.

O álbum é composto de quinze faixas:

  1. All Night Long (ft. Messy Elliott e Timbaland)
  2. Who’s That Boy (ft. Dev)
  3. You’re My Only Shorty (ft. Iyaz)
  4. Together (ft. Jason Derulo)
  5. Lightweight
  6. Unbroken
  7. Fix a Heart 
  8. Hold Up
  9. Mistake
  10. Give Your Heart a Break
  11. Skyscraper
  12. In Real Life
  13. My Love is Like a Star
  14. For the Love of a Daughter
  15. Skyscraper (Wizz Dumb remix)

Eu realmente ainda não consegui escolher uma única música favorita, só consegui fazer um top 5 hehe: Give Your Heart a Break, Mistake, For the Love of a Daughter, Lightweight e Unbroken.

Eu recomendo super o álbum e com certeza vou comprar, porque confesso que não esperava tanto desse álbum.. Digno!

 

Beijos,

@juliamiozzo

VMA 2011

Ontem para quem não sabe (alguém não sabe?) aconteceu o Video Music Awards 2011 na MTV. Aquela famosa apresentação que já aconteceu de tudo: o beijo da Britney e da Madonna, o Kanye West interrompendo a Taylor Swift, a Lady Gaga vestida de carne enfim  milhares de coisas tirando esse ano que nada de errado.. Achei isso chato, vocês não? Haha

Resolvi separar em tópicos o post senão iria ficar muito grande e confuso, então vamos começar:

  • ROUPAS

Achei esse ano às roupas, tão, mas tão sem graça que até agora estou procurando alguém para dizer que foi a mais bem vestida…

Como não achei vou falar das menos mal vestidas, rs, ou seja, as que eu mais gostei…

Começando pela Katy Perry, para mim, Katy não passa de uma versão feia da Zooey Deschenel não tão bem vestida é claro… Mesmo assim, eu gosto bastante da Katy, mas dos quatro vestidos que ela usou ontem eu gostei daquele que ela usou na festa pós-premiação, sei lá achei divertido e adorei o sapato, olhem:

PELO AMOR, KATY, VOLTA A SER MORENA LOGO!

Gostei também da Ashley Tisdale, ficou fofa, simples mais fofa… Mas ela voltou a ser loira e eu prefiro morena.

Em relação aos piores looks, eu só tenho uma coisa a dizer: NICKI MINAJ!

Uma mistura de Katy Perry, Lady Gaga e coisas do lixo, pois é...


PS: Não gostei nenhum um pouquinho da Miley também… Feio demais.

 

  • APRESENTAÇÕES

Não irei falar de todas, só fiz esse tópico por causa de uma pessoa: ADELE sensacional fez todos a aplaudirem de pé… Além de ter aquela voz incrível, ela é muito sofisticada, uma fofa… A todos que fazem piadinhas do peso dela, vão lá cantar igual a ela…

  • TRIBUTOS

O da Britney foi sensacional e com Britneys saindo de todos os lados, haha… Gostei da Lady Gaga (não tem Lady né) falando dela… MAS ACHEI QUE A BRITNEY DEVERIA TER BEIJADO-A, POXA JÁ TAVA DE HOMEM MESMO.

Já o da Amy, ESPERA MAIS… o Russel falando dela foi bonitinho e o Bruno Mars cantando Valerie com aquele cenário todo programa de tv da época que a tv era preto e branco, a lá “Hairspray” foi legal… MAS FALTOU ALGO… PO ERA A AMY NÉ?

  • LADY (não tão lady) GAGA

Sim, eu fiz um tópico para ela… Porque ela realmente encarou o personagem ontem e tava definitivamente um homem!

Mesmo assim não chocou tanto quanto o vestido de carne… Se esforce melhor da próxima vez Gaga! Você pode fazer melhor que isso, todos nós sabemos!

  • MELHORES MOMENTOS

Como eu disse no início do post, não teve nenhum momento: OMG/WTF? esse ano… E isso me decepcionou até.

O legal do VMA é sempre essas coisas não muito planejadas e sempre um xingando dizendo que a organização do evento é uma bosta e blá blá blá.

Mais os melhores momentos foram:

3- DEMI LOTATO, que alias estava meia laranja, FALANDO COM O JOE JONAS… Achei muito interessante isso, depois de alguns dias atrás eles trocaram tweets… Sei lá viu esses dois são muito complicados!

REPAREM NA CARA DA SELENA!

2- Katy Perry ganhando o prêmio de video clipe do ano por Firework… Ela ficou tão feliz gente, e a cara do Russel quando ela agradeceu a ele… FOFO VIU! Apesar dele tirar uma foto sem maquiagem dela, eles ainda são um casal bonitinho.

1- SEM DÚVIDAS NENHUMA ADELE E EU QUASE CHOREI NA APRESENTAÇÃO DELA!

  • CONSIDERAÇÕES FINAIS

Bom não vai repetir mais uma vez que achei meio sem sal esse VMA… Além disso, senti falta da Taylor Swift! Porque ela não foi?

Falando em Taylor achei o Kaenye West meio quieto esse ano… SÓ PORQUE A TAYLOR NÃO FOI.

Da Demi ~LARANJA~ já falei né? Mas antes laranja no VMA do que se tratando na rehab né?

Acho que não falta mais nada a falar né? TODO MUNDO SABE QUE A BEYONCÉ TÁ GRAVIDA NÉ?  Bom caso alguém não saiba é isso…

Noel Gallagher is officially back, bitches!

Semanas atrás eu falei sobre a tão esperada volta de Noel Gallagher, nesse post aqui. Semana passada, foi anunciado que o primeiro single de Noel, The Death of You and Me, seria lançado na madrugada do dia 25, mais precisamente, as 4h30 da manhã. Depois de um dia (muito) difícil, sentei em frente ao computador e esperei. Muito.

O single seria lançado mundialmente nas rádios, e você podia acompanhar pelo site da rádio britânica BBC o lançamento ao vivo. “NOSSA, QUE DEMAIS!!! VOCÊ ACOMPANHOU O LANÇAMENTO AO VIVO NOSSA QUE L….”. Não, eu não acompanhei ao vivo. Por quê? Porque eu não sabia o link da rádio e nenhum dos fãs que eu sigo no twitter tinham divulgado. Outro detalhe importante é que o single foi lançado na rádio 4h20, não 4h30, e enquanto eu esperava, as pessoas já estavam comentando sobre a música. Não vou negar que eu fiquei bem nervosa. MAS TUDO BEM, porque minutos depois o site Oasisnews já tinha publicado o video clipe da música. Ou seja, ouvi a música pela primeira vez vendo o video clipe.

Vocês devem estar se perguntando qual foi a minha reação ao ouvir a música. A resposta é simples: a reação que qualquer fã de Oasis/Noel Gallagher teria. Enquanto ouvia a música, as lágrimas caiam sem parar do meu olho. Parece exagero, né? NÃO! O Gallagher mais querido tinha voltado! E foi lindo! E melhor que Beady Eye! SHITBAG, Liam!

Esse foi o único comentário de Liam quando Noel anunciou sua volta.

Sobre a música, não tenho palavras pra descrevê-la. Me lembrou bastante The Importance of Being Idle, um dos singles do Oasis.. Só que melhor, né? Bem o estilo Noel Gallagher de ser, mesmo.

Lembrando que o álbum de Noel, Noel Gallagher’s High Flying Birds (nome longo demais), será lançado dia 31 de outubro. Só no Brasil que será lançado dia 5 de novembro, mas até lá todos já terão feito o download (inclusive e principalmente eu).

Enfim, curtam a música, decorem ela toda e saiam cantando por aí. SPREAD THE WORLD!

Welcome back, Noel Gallagher ♥

E Liam, eu ainda te amo!

Beijos,

@juliamiozzo

And I can feel the stormclouds sucking up my soul…

… And he’s back!

Se tem uma coisa que tenho certeza, é que Oasis é minha banda favorita. Tipo um lema de vida, sabe? Oasis pra sempre, mais ou menos isso. Mas, como sou uma pessoa com pouquíssima sorte, a banda acabou em 2009, tempos em que eu “não gostava o suficiente da banda pra ir no show”. No meu vocabulário: tomei no **. No vocabulário da minha mãe: uma pena. E igual às pessoas que acham que Paramore é Hayley Williams, pra mim Oasis é Gallagher, pra mim e pro mundo. Gosto sim dos outros integrantes da banda, mas Noel e Liam Gallagher tem um lugar bem maior no meu coração.

E assim como eles tem um lugar maior no meu coração, a briga entre os dois irmãos mais famosos do rock foi o que causou a saída de Noel do Oasis, em setembro de 2009, dois shows antes da turnê terminar. Foi o fim da maior banda dos anos 90 (e minha favorita :/). Desde então, Liam se aproveitou da situação pra liderar uma banda pós-Oasis chamada Beady Eye, também conhecida como Oasis-sem-Noel. Não vou negar que gosto muito da banda (po, é o Liam.. e os outros integrantes do Oasis, né), mas o gênero é bem diferente do que eu estava acostumada ao ouvir.

Vai tirando, vai..

Eis que, dias depois do anúncio de um novo single e lançamento de um novo videoclipe de Beady Eye, NOEL RESURGE E DÁ NOTÍCIAS! Sim, o homem da minha vida, pessoa que eu mais idolatro nesse mundo e meu Gallagher favorito (Liam, te amo também, tá), tava de volta! Com um álbum solo! E calma, é só em outubro, mas mesmo assim! O álbum de lançamento se chama High Flying Birds e será lançado dia 17 de outubro, contando com dez faixas:

1. ‘Everybody’s On The Run’
2. ‘Dream On’
3. ‘If I Had A Gun’
4. ‘The Death Of You And Me’
5. ‘(I Wanna Live In A Dream In My) Record Machine’
6. ‘AKA… What A Life’
7. ‘Soldier Boys And Jesus Freaks’
8. ‘AKA… Broken Arrow’
9. ‘(Stranded On) The Wrong Beach’
10. ‘Stop The Clocks’ (comentário: Stop The Clocks é o nome da penúltima coletânia de singles do Oasis, lançada antes do último álbum da banda)

E agora, um comentário a parte para todos os fãs de Oasis que, assim como eu, não tiveram oportunidade de ir a um show da banda: Noel afirmou que vai tocar músicas do Oasis em suas turnês. EM SUAS TURNÊS. As melhores músicas do Oasis (desculpas, mas é verdade..) na turnê do lendário Noel Gallagher. Gente, isso é melhor que o paraíso. O argumento que Noel deu foi:  “Não posso sair de um show sem tocar músicas do Oasis. Eu as escrevi, elas são minhas. São como drogas pra mim”. E o meu comentário sobre isso é: Você é minha droga, seu lindo!

Não vou negar que não tem um dia que eu não torça pra que um dia os Gallagher se reconciliem e o Oasis possa voltar, porque não tem mesmo, mas fico feliz com o trabalho de cada um e continuo os admirando. Agora, se é pra ser sincera, vou ser: não quero nem saber de Beady Eye no Festival Planeta Terra mais depois dessa notícia. Quero dizer.. É o Noel, o amor da minha vida, né, sem contar que com ele vou poder finalmente ter a chance de ver Don’t Look Back in Anger ao vivo. Vejam o vídeo, chorem, se arrepiem e se apaixonem como eu.

Resumindo o post em seis palavras: Noel tá de volta pra causar.

Termino o post pedindo desculpas por toda a empolgação presente no post e com um trecho de Don’t Look Back in Anger: don’t you know you might find a better place to play? Reflitam.

Beijos,

@juliamiozzo

Um pouco dos 90’s

Ultimamente me falta muita criatividade e inspiração pra montar posts. Pensei em fazer um top 5 do Oasis, um sobre as bases de esmaltes que uso.. Até que cheguei à conclusão de que queria falar sobre as músicas dazantiga. Eu nasci em 1996, não posso falar muito sobre o assunto, mas mesmo assim vou falar de algumas músicas que eu gosto muito lançadas na época. Umas que fizeram muito sucesso, outras que nem tanto.. E por aí vai.

Peço desculpas desde já por postar na maioria músicas das minhas bandas favoritas, já que essas são da década de 1990 e não tem como não postar sobre Oasis ou No Doubt aqui, rs.

1. Don’t Look Back in Anger – Oasis (1996):
Minha música favorita, está em primeiro em todos os tops 5 da minha vida. Lançada como single em 1996 (jura?), a música foi escrita por Noel, meu Gallagher favorito, e foi o quarto single do segundo e melhor CD do Oasis, (What’s the Story?) Morning Glory. Foi o segundo single da banda a alcançar o primeiro lugar das paradas inglesas. Música linda, meio que sem sentido, mas linda.

2. Don’t Speak – No Doubt (1996):
De longe, a mais (e talvez única) conhecida do No Doubt. Single do terceiro álbum da banda, Tragic Kingdom, atingiu primeiro lugar na Inglaterra, Holanda, Letônia, Suécia, Filipinas, Suíça e Austrália, apesar de não entrar para o Billboard Hot 100. Com duas indicações ao Grammy (Canção do Ano e Melhor Performance de Grupo Pop), a música fala sobre o relacionamento de Gwen com Tony, o baixista da banda. Linda, linda e linda, nunca me canso de ouvir.

3. …Baby One More Time – Britney Spears (1998): 
Britney foi a cantora da minha infância. Com três ou quatro anos de idade eu já tinha seu CD, cantava (daquele jeito..) e dançava essa música com todo o amor de um bebê. Até hoje, ao ouvir essa música, faço a dancinha do clipe e canto loucamente. Sinto falta dessa época da Brit.. Mas enfim, uma indicação ao Grammy, single número um em vinte e três países e maior single de 1999. Foi lançada oficialmente em 1998, mas só teve conhecimento no mundo inteiro em 1999. Música foda, videoclipe foda, dancinha foda.

4. I Want It That Way – Backstreet Boys (1999):
Acho que toda e qualquer mulher até seus 29 anos já foi apaixonada por Backstreet Boys, eu inclusive. Os únicos homens da minha vida eram Leonardo DiCaprio (por causa do Titanic, filme que eu já vi mais de cem vezes na minha vida) e Nick Carter com seu cabelo McDonalds. Foi o maior sucesso da banda, ficou por meses em primeiro lugar nas paradas e alcançou o primeiro lugar da Billboard logo na semana de estréia. Quem nunca cantou essa música bem alto, não sabe o que é viver.

5. Learn to Fly – Foo Fighters (1999):
Não podia faltar Foo Fighters aqui (eu pedi desculpas..), né. Primeiro single do There’s Nothing Left to Lose, é um dos maiores sucessos da banda e foi número 19 na Billboard Hot 100. Escolhi essa pra colocar no post principalmente pelo seu videoclipe, que é um dos melhores e mais engraçados que existem.

Eu poderia colocar umas cem músicas dos 90’s, mas a preguiça fala mais alto. Quais os hits da década retrasada preferidos de vocês? COMENTEM!

Beijos,

@juliamiozzo