Maratonas de Resenhas: Última Parte

Olá… Hoje vou postar o fim das minhas maratona de resenhas, e é obvio que eu deixei os melhores para o final… O meus queridinhos, que são tão queridinhos que até foram pro Oscar!!!!! Estou falando de The Help e Hugo, duas fofuras que é impossível de não gostar. (Se preparam porque eu vou escrever demais.)

The Help (2011)

Meu Deus, eu sou meia suspeita para falar porque eu só apaixonada por esse filmes há meses… Eu vi a sinopse e tals e já achei que ia ser ótimo (a Emma Stone também ajudou no meu interesse pelo filme, é claro) e eu baixei na época que estreou no E.U.A porque eu nunca na minha vida imaginei que o filme fosse para os cinemas quem dera concorrer ao Oscar… Mas enfim vamos ao que interessa a sinopse:

The Help (Histórias Cruzadas) é uma adaptação de um livro com o mesmo nome que conta a vida das empregadas domesticas negras em Jackson, Mississipi nos anos 60. Elas eram maltratadas e sofriam de preconceitos absurdos de suas patroas brancas como a Hilly Holbrook (Bryce Dallas Howard, de 50/50) que não queria nem que elas usassem o mesmo bainheiro.

Eis que surge Skeeter (Emma Stone, com cachinhos lindos), recém-formada jornalista que acaba de voltar à cidade em busca de trabalho (apesar de segundo os conceitos da cidade ela deveria estar atrás de um marido). Skeeter diferente do resto da cidade vê as empregadas como elas realmente são por ter sido praticamente criada por uma negra, a partir disso ela resolve criar um livro contando tudo que essas mulheres já sofreram e o que elas sentem de verdade em relação às donas de casas e as crianças que elas criam para depois ficar exatamente iguais a suas mães.

As empregadas protagonistas são Aibileen (Viola Davis) e Minny Jackson (Octavia Spencer, que ganhou o Oscar como melhor coadjuvante, quase chorei).

quero ser amiga delas!!

Tenho que dizer além de se roteiro maravilhoso (quero ler o livro), os cenários de épocas e os meus AMADOS VESTIDOS RODADOS!!! As personagens são simplesmente apaixonantes, a Skeeter é uma fofa, juro, quero ser ela quando crescer! A típica jornalista a frente do seu tempo que não liga para os padrões da sociedade e sim quer mudar aquilo que acha errado, sem se tornar uma feminista chata. Sem falar que foi super legal ver esse outro lado da Emma Stone diferente daquela Emma engraçada e sem noção que estamos acostumadas a ver em seus papeis.

A Aibileen deve ser a melhor empregada/babá de todos os tempos, sem falar que as cenas delas com a Mae Mobley fazem a gente chorar (Não recomendável para épocas de TPM e etc…). Já a Minny que deixa o filme mais leve, tirando do drama todo e faz a gente se matar de rir, e a relação dela com a Celia (Jessica Chastain, que também foi indicada como melhor coadjuvante no Oscar) é adorável de assistir. Já Brice Dallas Howard interpretando a Hilly faz a gente querer mata-la de raiva de tão ridícula e má que ela pode ser… Eat my shit  (melhor bordão ever!)

O filme é ótimo, um dos meus favoritos, fui ver na estreia no cinema (o ruim foi não poder dar spoilers para as minhas amigas, senão eu seria morta né Júlia, rs), e com certeza eu dou 5 de 5 estrelinhas, por que eu não tenho muito o que reclamar, o filme tem 2h20, muita gente acha que isso é muito, mas para mim eu podia ver mais 30min de filme numa boa.

Hugo (2011)

Consegui ver Hugo no dia do Oscar (cheguei em casa, já tinha começado o live from red carpet no E!) e ainda bem, porque eu pude torcer com vontade para o filme!

Hugo (Asa Butterfield) é um garotinho que vive escondido na estação de trem em Paris nos Anos 30. Seu pai acabara de morrer, mas antes ele encontra um autômato raro que escreve, mas todo acabado e para funcionar precisa de uma chave. Um pouco depois de ficar órfã, Hugo acaba trombando com Isabelle (Chloe Moretz ❤ ❤ ❤ <3) afilhada do dono da loja de brinquedos da estação, e percebe que o seu colar é a chave do autômato, a partir disso eles resolvem ir atrás desse mistério envolvendo o colar que ganhou de sua tia e o autômato encontrado no lixo.

Primeiro tenho que dizer que não é a toa que o filme ganhou a maioria dos prêmios de efeitos especiais, a neve 3D era tão real que eu quase senti frio… Eu não sei explicar, mas foi o melhor filme 3D que já vi. (Geralmente eu acho 3D inútil, mas esse foi diferente).

Agora sobre a história, ela é uma homenagem ao precursor dos efeitos especiais e da fantasia o Georges Méliès (quero dizer, o filme ficou 100x mais lindo quando eu descobri que o Geoges Méliès realmente existiu). O filme é uma mistura de ficção com realidade em que um filme bonitinho faz com que a gente aprenda mais sobre a história do começo do cinema.

Sobre a Chloe, ela devia ganhar um Oscar, mais eu sei que ela ainda vai ganhar afinal ela ainda tem muito tempo para isso…

Todo mundo sabe que o Martin Scorsese foi o diretor, mas uma curiosidade que eu acho que muita gente não saiba é que o filme foi produzido pelo Johnny Deep.

O filme também ganha as minhas 5 estrelinhas e ele é tão bem feito e fofo que dá vontade de abraçar todo mundo que fez o filme, rs.

Anúncios

Um pensamento sobre “Maratonas de Resenhas: Última Parte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s