Especially you, Jenny Beckman … Bitch

Hoje é dia do amor, que lindo né? Então como todos devem estar falando de amor, eu serei do contra e falarei sobre um filme que começa dizendo isso:

“Essa é uma história sobre um garoto que conhece uma garota, mas não é uma história de amor.”

Pra quem já viu só pelo titulo já sabe que estou falando de (500) days of Summer (aqui, chama-se (500) dias com ela, mas assim acaba com a graça da ambiguidade de Summer).

A história é a seguinte: Tom Hansen é um arquiteto formado que trabalha como um escritor em uma empresa de cartões. Lá ele conhece Summer Finn que acabara de se mudar para cidade e Tom, em suas próprias palavras: “É oficial. Eu estou apaixonado por Summer. Eu amo o seu sorriso. Eu amo o seu cabelo. Eu amo seus joelhos. Eu amo como ela lambe os lábios antes de falar. Eu amo a marca de nascença em forma de coração no seu pescoço. Eu amo como ela dorme”.

Só que o grande problema é Summer não acredita em amor, ela não passa de uma garota que faz tudo que tem vontade quando, onde e com quem ela quer. E o filme mostra os 500 dias que Tom convive com Summer.

Tom é interpretado por Joseph Gordon-Levitt aquele fofinho de 10 coisas que odeio em você, mas agora ele está grandinho (continua fofo), já Summer é interpretada pela perfeita (não tem outro adjetivo para ela) Zooey Deschanel.

Summer é inspirada em uma tal de Jenny Beckman (citada no começo do filme, e no título do post, rs). “Este filme é uma ficção, qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas é mera coincidência. Especialmente para você, Jenny Beckman, sua vaca”. Pois é, eu li uma entrevista aqui, com o diretor do filme Marc Webb dizendo para nunca procura-la no Facebook, (só porque eu tinha digitado Jenny Beckman no google para ver se ela tinha Facebook) e ele conta que Jenny  foi a Summer do coroterista Scott Neustadter.

O legal do filme é que ele não é uma narrativa linear, ou seja, o filme não vai passando certinho na sequencia. Cada cena inicia-se com um cartão com o dia que vai se passar, desde o 1º até o 500º. Tem todo um lado fotográfico e cinematográfico que eu não entendo nada, mas sei que é bonito, rs, muito bonito.

Outro detalhe é que azul é a cor de Summer, então era obrigatório que todas as cenas que ela aparecia tinham que ter algo azul, seja na roupa, ou em algum acessório, a casa dela é toda azul também, isso por causa dos grandes e também perfeitos olhos azuis da Zooey. A única cena que tem azul sem a presença dela é a sequencia musical de Tom para criar a sensação de que ele encontrou algo que estava faltando.

Uma coisa que AMO nesse filme são as roupas, todas vintage e segundo o diretor isso é graças a Zooey: “acho que ela tem uma regra de só vestir roupas e ouvir músicas que foram criados antes de ela nascer. “ disse o diretor, então lembram quando eu disse que ela era perfeita? É sem mais.

Devo citar também que eu acho o Tom muito fofo, é difícil ver garotos apaixonados que nem ele. Mas apesar disso a Summer é sensacional, muita gente diz que ela é má ou que não presta, eu não acho isso, o filme tem bastante dessa de mostrar que quando você se apaixona por alguém você acaba esquecendo-se de olhar para os defeitos dela e fica iludido.

É um filme lindo e muito bonito e sem dúvida um dos meus favoritos, só não é aquele filme para quem está na TPM ou sofrendo de amor, talvez também não sirva para os muito apaixonados porque acaba com aquela ideia de “felizes para sempre”.  De cinco estrelas eu dou quatro e meio.

PS: Pesquisem sobre o (500) days of summer no DeviantART, tem coisas lindas lá!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s