Meu segundo Woody Allen

Sabe quando você vai a uma locadora e sempre tem aquele filme que chama sua atenção? Talvez seja a capa, ou o nome.. Que todas as vezes você o pega, lê a sinopse, fica segurando-o e acaba não alugando? Pois é.

Já falei no post sobre Meia-Noite em Paris que estava à procura de outro filme do Woody Allen, certo? Como estou de férias, estou alugando todos os filmes que me interessam . Fui à locadora hoje, uma bem simples. Queria alugar dois ou mais filmes, e só tinha encontrado 127 Horas. Minha mãe pagando os outros três filmes e eu procurando mais um desesperadamente. E encontrei no cantinho da prateleira um filme desse tal de Woody Allen: Tudo Pode Dar Certo.

Boris Yellkinoff é um velho mau-humorado e rabugento que vive em Manhattan e ensina crianças a jogar xadrez. Ex-professor da Universidade de Columbia, considera-se um gênio e o único capaz de entender o Universo e os seres humanos. Em meio à tudo isso, se depara com Mellody, uma garota doce e ingênua que fugiu de casa para morar em NY. Ela pede para que ele deixe ela se hospedar em sua casa por pouco tempo e Boris, à princípio, não acha uma boa ideia, embora acabe cedendo. Ela se instala e, com o passar do tempo, não aparenta ter planos de deixar o local. Boris é surpreendido pela garota quando ela lhe diz estar interessada nele.

Sempre assisto aos filmes deitada, pois, se forem ruins, posso simplesmente virar e dormir. Pra minha surpresa, no meio do filme me encontrei sentada com a mão no queixo daquele jeito pensador, sabe? A única vontade que tive foi de fugir de casa para morar com um velhinho tipo Boris, de tão grande que é a genialidade do filme. Não sei nem como explicar direito, mas meio que me fez perceber algumas coisas e querer mudar outras. As frases de Boris, seu jeito chato e o hábito de cantar parabéns ao lavar as mãos me encantaram de tal maneira que eu quero um pra mim, já! A perfeita atuação de Evan Rachel Wood (a amo desde que assisti Aos Treze.. Sim, eu assisti) me fez amar o filme ainda mais. Um final surpreendente, mas, nem por isso, ruim. Muito pelo contrário: genial.

Woody Allen se mostrou pra mim, em apenas dois filmes dele que já vi, um perfeito gênio. Já tenho fila de três filmes dele para ver (dois já baixados no computador) e um amor incondicional. Não sei se é cedo pra amar o Woody em si, mas que eu amei seus filmes e toda a genialidade (SIM, eu sei que repeti essa palavra muitas vezes, mas não tem outra que descreva melhor) presente, não tem como negar.

Posso com certeza dizer que tomou o lugar de Cisne Negro por melhor filme já visto. Todas as pessoas desse mundo devem, e com devem eu quero dizer precisam, necessitam, DEVEM, assistir esse filme. Todas.


Como sempre, aprendi uma lição com o filme e com a experiência da locadora: os filmes do canto da prateleira são sempre os melhores.

De cinco estrelinhas, dou cinco. Cinco e meia, seis.. Simplesmente o melhor filme e o topo da listinha dos favoritos. Espero que com esse post eu tenha conseguido expressar todo meu amor por esse filme.

Woody Allen, você ganhou meu coração.

Beijos,
@juliamiozzo 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s